Cuidado Integral à Saúde da Mulher

O Hospital Brasília e a Maternidade Brasília se uniram em um projeto inovador. O Núcleo de Cuidado Integral à Saúde da Mulher oferece serviços especializados para atender de forma mais completa às necessidades deste público.

A saúde da mulher tem particularidades que exigem uma vasta gama de especialidades médicas. Atento a isso, o Hospital Brasília e a Maternidade Brasília se uniram para oferecer um atendimento que abrange várias áreas relacionadas ao organismo feminino. O Núcleo de Cuidado Integral à Saúde da Mulher (NCISM) reúne uma equipe multidisciplinar com profissionais de excelência, treinados para tratar ocorrências uroginecológicas, patologias do trato genital inferior e endometriose – esses são os três eixos principais de atuação da equipe multidisciplinar que integra o NCISM.

Os profissionais que atuam na subespecialidade da Uroginecologia se concentram na avaliação, diagnóstico e tratamento de complicações como incontinências urinária e fecal, cistos vaginais, disfunções sexuais e prolapso genital. Um dos exames de destaque deste eixo de atuação do núcleo é o estudo urodinâmico. Trata-se de um exame não invasivo e extremamente importante para o diagnóstico e tratamento de perdas urinárias.

Já na área do núcleo que se concentra nas Patologias do Trato Urinário Inferior, os especialistas se empenham em investigar e tratar HPV, lesões pré-malignas e alterações vulvares e vaginais. Um dos exames feitos visando esses diagnósticos é a colposcopia, também oferecida pelo NCISM.

A outra via de atuação do núcleo se concentra na Endometriose. A condição, que costuma causar dores intensas no período menstrual e, em alguns casos está relacionada à infertilidade, acomete aproximadamente 10% das mulheres. Para as pacientes que sofrem com este quadro, a equipe multidisciplinar oferece tratamentos que ajudam a controlar as dores intensas, proporcionando uma melhor qualidade de vida às mulheres.

Para isso, o NCISM trabalha com o apoio do Instituto de Endometriose de Brasília que oferece atendimento multidisciplinar na endometriose (Fisioterapeuta, nutricionista, psicóloga, proctologista, urologista e ginecologista). Além disso, no Hospital Brasília, as mulheres que sofrem com endometriose podem ser submetidas à cirurgia robótica. O procedimento, menos invasivo que os convencionais, permite o que os médicos chamam de remissão da doença, que é o controle, diminuindo as dores e o desconforto.

A ideia de oferecer cuidado integral à saúde da mulher já era algo que fazia parte da rotina das equipes do Hospital e da Maternidade Brasília. Porém foi há apenas 3 meses que o núcleo foi oficializado e ampliou a integração entre as especialidades.

“Com a estruturação do núcleo, passamos a ter uma referência para os médicos e pacientes destas patologias específicas da saúde da mulher. Com os especialistas nas três áreas (uroginecologia, patologia do trato genital inferior e endometriose) podemos tratar as pacientes com melhor abordagem e resultado”, explica o Dr. Marcus Vinícius Barbosa de Paula, uroginecologista e coordenador do NCISM.

As mulheres que necessitarem de atendimento nas áreas de atuação do NCISM podem procurar a Maternidade ou o Hospital Brasília e agendar diretamente a consulta. Não há necessidade de passar por triagem.

Fonte: Dr. Marcus Vinícius Barbosa de Paula, uroginecologista e coordenador do NCISM.

Você sabe a importância dos exames de rotina?

Entender e conhecer o seu corpo internamente é a melhor defesa para a saúde da mulher

Muitas mulheres acreditam que não precisam de um médico a menos que estejam diante de um problema de saúde. Esse pensamento é equivocado, principalmente considerando que algumas complicações sérias, como o câncer ou determinadas doenças sexualmente transmissíveis, praticamente não apresentam sintomas e sinais corporais óbvios, e a sua detecção precoce aumenta as chances de cura.

Os exames periódicos ginecológicos têm como objetivo avaliar fatores de risco para problemas de saúde que possam se desenvolver e prevenir a evolução de doenças indesejadas, além de avaliar questões de saúde atuais e garantir o bem-estar físico e reprodutivo da mulher.

Quais assuntos são abordados em uma consulta de rotina?

Toda mulher deve ter consciência sobre a importância de fazer exames ginecológicos de rotina uma vez por ano. Para tanto, o médico especialista fornece orientações específicas de saúde e solicita testes que vão averiguar o funcionamento do organismo.

Entre os principais assuntos a serem abordados nesse tipo de consulta estão: planejamento familiar; triagem e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs); problemas menstruais; sintomas da menopausa; saúde óssea; alterações mamárias e prevenção do câncer ginecológico.

Como é a consulta?

No primeiro momento, será feita uma avaliação médica abrangente, incluindo um histórico familiar para entender os possíveis riscos de câncer. A partir daí, o médico vai verificar a pressão arterial, a frequência cardíaca, a altura e o peso da paciente. O coração e os pulmões serão avaliados com um estetoscópio; as mamas deverão ser verificadas por meio da palpação; o médico vai examinar a glândula tireoide, na garganta, e avaliar o abdômen. Em seguida, um exame pélvico será realizado, incluindo o rastreamento de câncer de colo uterino por intermédio do exame Papanicolau. Se a triagem detectar qualquer alteração, ela pode ser tratada com mais eficácia, por isso é essencial manter a continuidade dos exames de rotina.

Por fim, pode ser que exista uma conversa sobre métodos de controle de natalidade, se a paciente for sexualmente ativa, incluindo maneiras de se proteger das DSTs. Se o objetivo for engravidar, o médico também aconselhará sobre os métodos e cuidados necessários.

A partir de qual idade devo me preocupar com a periodicidade dos exames ginecológicos?

Muitos profissionais aconselham que os exames anuais de ginecologia devem começar por volta dos 15 anos, assim, a paciente tem a oportunidade de esclarecer dúvidas importantes sobre o seu desenvolvimento físico e o ciclo menstrual, além de propiciar a discussão de tópicos importantes referentes à educação sexual. “É importante que, após a primeira menstruação, a paciente seja avaliada e seja verificado se não há nenhum problema, afinal, a possibilidade de gravidez passa a existir”, destaca o ginecologista Dr. Evandro Silva, da Maternidade Brasília.

Um dos mais conhecidos no universo dos exames voltados para as mulheres, o Papanicolau deve começar a ser feito com o início da atividade sexual da paciente.

Não há uma idade definida para a interrupção dos exames ginecológicos de rotina. Inclusive, se a mulher estiver na pós-menopausa, ela deve manter esse hábito, para conversar com o seu médico sobre exames adicionais para osteoporose, câncer de cólon e diabetes.

Não tenha medo ou vergonha de fazer perguntas ou discutir uma preocupação com o seu médico ginecologista. Colocar a sua saúde em primeiro lugar e buscar cuidados específicos e eficazes através do check-up anual também é uma forma de manter a qualidade de vida.